sábado, 29 de dezembro de 2007

Recife, Cidade Amada


Quem já nasceu em um lugar, mas ao residir em outro se sente mais em casa do que em outro?
Pois é, por mais que eu tenha nascido em Londrina e amo de paixão esta cidade, me sinto intimamente ligada a Recife...
Fui muito feliz nesta cidade, cresci muito e aprendi muito com ela, em todos os sentidos; fiz amigos maravilhosos lá, meu filho é, com muito orgulho, Recifense, Pernambucano, porém quando digo que sou grata a essa cidade, a esse estado me refiro mais à cultura, à culinária, aos ritmos musicais, enfim a tudo que aprendi a amar, admirar e a defender...
Sou pernambucana, sou recifense, sou rubro-negra de coração (Sport Clube do Recife), sou tudo o que me liga a essa imensa e maravilhosa cidade. Um dia a saudade da família me trouxe de volta, mas meu coração nunca esqueceu os tantos momentos felizes que vivi lá, e sou grata a todos àqueles que me acolheram, me introduziram em suas famílias fazendo com que eu me sentisse em casa mesmo que a 4.000km dela.
Obrigada Recife, devo a você os 5 anos mais felizes da minha vida, os anos que Deus me permitiu lembrar, uma vez que àqueles primeiros de nossas vidas (1, 2,3) a memória apaga por mais marcante que seja...
“Voltei Recife, foi a saudade que me trouxe pelo braço ........, tomar umas e outras e cair no passo”

2 comentários:

Paulo disse...

Nossa! Mas voltou com força total mesmo, hein!? Estou atrasado 3 posts! Mas já vou colocar a leitura em dia.

Eu penso que onde nascemos não importa tanto, mas sim, onde nos realizamos. É esse local que costuma nos marcar.

Ótimo post!

Leonardo werneck disse...

Me identifiquei um pouco com teu texto, sou mineiro de Uberlândia, mas adotei o Rio de Janeiro como a minha cidade desde meus 7 anos de idade. Hoje moro em Guarulhos, mas o Rio ainda é a minha terra, onde me sinto em casa realmente.


abraços