terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

A maturidade realmente chega?

Um dia você acorda, se olha no espelho e diz: Definitivamente eu mudei!
Mas essa mudança não está ali, vista no espelho, está lá dentro, e você se acha quase um super-homem, no meu caso, a mulher maravilha...
Aí os dias passam, mais alguns anos também se vão e de repente do nada você descobre que não mudou como pensava, e mais triste ainda é pensar que talvez tudo não passasse de mera ilusão, mais uma pra variar.
É, a vida tem dessas coisas. Os anos chegaram e você achou mesmo que havia crescido, criado mais coragem, mas o que fez de verdade foi apenas falar coisas mal educadas para algumas pessoas.
Falar o que pensa nem sempre é tão boa ideia assim, boa ideia mesmo seria não falar, mas sim não ouvir das pessoas o que não te acrescenta em nada.
Afinal, essa pode ser apenas a sua versão dos fatos. Até porque saber que pessoas que te cercam têm uma opinião não tão agradável de você obviamente não deixa ninguém feliz, entretanto porque então procuram sua companhia?
Um dia ouvi alguém dizer que as pessoas são descartáveis. Forte isso não? Mas fazendo uma análise mais profunda e sem levar a crueldade da frase tão a fundo, podemos chegar à conclusão que é mesmo um pouco verdade.
Pensemos com o autor da frase: Quantas pessoas você um dia conheceu e hoje sequer lembra o nome ou fisionomia? Já outras te fizeram tão mal que é alegria elas terem sumido do mapa; já outras você sente falta ter perdido o contato, mas tem muitas que você não tem como deletar e outras que você acabou de conhecer mas já quer se livrar!!
Então... se você pudesse mesmo descartar alguém tomaria ou não tal atitude?
Difícil responder? Também acho.
Voltamos ao fato da coragem.
Talvez essa seja a palavra que mais define a maturidade: CORAGEM.
Coragem para ainda arriscar, para mudar, ou para estacionar e ser o que sempre foi ou quis. Coragem para falar me esquece ou te esqueci para aqueles que não te fazem feliz ou que um dia você acreditou que fosse um amigo de verdade...
E aí? Essa maturidade chega ou não chega?

7 comentários:

Pimenta disse...

Xi, eu descarto mesmo.Se não é saudável, não acrescenta, não tem motivo para existir. Não se trata de usar pessoas,só se relacionar com quem lhe dê algo, mas algo mais sutil.
bjo

Cynthia Gonçalves disse...

Uma hora ela chega, pode ter certeza que uma hora a vida se encarrega disso. rs

Adorei seu blog, espero passar sempre por aqui e ler novos textos.

Obrigada pela visita lá no meu canto e volte sempre que quiser.

Beijo

Rolando disse...

oi. tudo blz? estive por aqui. ela chega sim. para alguns mais tarde. outros mais cedo e outros ainda no meio termo. apareça por la. abraços.

FanY disse...

Eu sempre tentei observar as mudanças que aconteciam em mim, e nas pessoas a minha volta.HOje, acredito que nós apenas amadurecemos pras coisas do passado.Não necessariamente porque somos crescidos o suficiente pra não dar mais importancias Àquelas coisas que ficaram pra trás, e ficaram tambem pequenas, mas simplesmente pq vencemos o passado.saimos ilesos. A medida que vamos os deparando com momentos e dificuldades novas, percebemos que somos pequenos, e temos muito o que aprender ainda...

Belas palavras as suas..parabéns pelo blog!

abraços...

Mariana Gomes Pires disse...

Quando foi muito doloroso para mim, sabia que o "descartar" seria a melhor opção, acho mais fácil do que conviver com algo que não faz mais sentido...A dor passa...e aparece uma nova página em branco,cheia de possibilidades, e principalmente, a de não cometer os mesmos erros, e a certeza de que se "não for dessa vez", poderemos virar a página novamente.

Sonhador disse...

Parabens pelo Blog vou te seguir.

Veja esse : www.alemaysolucoes.com

krishina disse...

parabéns!!! você como sempre escrevendo ótimos textos ,leves e atraentes .