quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Não há como te explicar

Há muito tempo não escrevo, pois bem, hoje senti vontade não só de pensar como também de transcrever meus sentimentos.
Imagino muito o que pensam de mim, mas sei bem também como sou realmente.
Não sei consolar, dar apoio como talvez esperam de mim e percebo esse meu defeito, só sei amar e dizer que amo, e amar desse meu jeito, esse meu tão estranho jeito.
Falar, falar e falar talvez não seja suficiente, convincente, mas é assim que consigo, na hora de agir sou muitas vezes distante, egoísta, enfim...
Acho que não há mais muito o que dizer, não há como explicar o quanto realmente eu sinto, me preocupo, sofro e ao mesmo tempo acredito, tenho fé, esperanças...
É; definitivamente não há.

Nenhum comentário: